Trabalho voluntário em Festivais em Dublin

O verao é a época em que mais acontecem festivais na Irlanda, devem ter centenas, para todos os gostos! Agora em Setembro, depois de trabalhar no Electric Picnic, o maior festival de música aqui na Irlanda, me empolguei e me inscrevi para trabalhar como voluntária em dois eventos aqui em Dublin e adorei a experiencia, vou detalhar cada um abaixo.

Eu ja tinha trabalhado em dois grandes festivais de teatro no Brasil, ao todo foram 8 ou 9 edicoes, entao tenho experiencia na áerea. Mas mesmo pra quem nao tem, é bem fácil participar!

14333741_1063443290429808_5095461242301942247_n

Culture Night

A Culture Night acontece todo ano na Irlanda, esse ano foi dia 16/09, uma sexta. Nesse dia, a partir das 5 da tarde, todos os museus, galerias e espaços culturais sao GRATUITOS. Fora isso, tem varias apresentacoes especiais, shows, ópera, tours etc. Atracoes famosas aqui como a Biblioteca da Trinity College, o Museu de Cera, e outros, sao totalmente gratis, mas as filas podem ser longas, entao é melhor escolher bem o que voce quer ver e chegar cedo.

Eles postaram no site/Facebook que precisavam de voluntários entao eu me inscrevi. Tinhamos que chegar la as 5 e o trabalho seria das 6 as 8 (no meu caso, mas outras pessoas tinham outras tarefas entao o tempo pode variar). Eu fui colocada no Dublin’s Gay History Tour, um walking tour pelo centro de Dublin, e eu tinha que auxiliar o guia e ficar com a lista de pessoas inscritas no tour. Quando o tour comeèou tinha apenas que ficar controlando o grupo, que era umas 50 pessoas, pra ninguem se perder. Acabamos as 19:45, devolvi o material e a camiseta e pude aproveitar o resto da noite, ja que ia ate as 11 pm!

As pessoas nos paravam a cada minuto pra perguntar onde ficava isso ou aquilo, as vezes eu sabia, mas claro que nao sabia tudo, tinha mais de 500 eventos acontecendo em Dublin naquela noite!🙂

14370293_1063444517096352_244982000073835162_n

Blue Fire Street Fest

Esse foi muito divertido, apesar de mais cansativo por que era das 1 as 8 pm (o festival era das 2 as 8) em Smithfield. Tinha barracas de comida, dois palcos, tendas de workshops, tentas de brincadeiras e artesanato para crianças e adultos, street performances.

Minha funçao era ficar na Tent A e ajudar nos workshops (verificar se o professor estava no horario, se precisava de algum equipamento, distribuir panfletos) e ajudar no que mais eles precisassem. Tivemos que ajudar crianças a fazerem e customizarem seu próprio bambole, teve aula de Tai Chi, de Capoeira Fitness, Aula de Teatro para Crianças e Aula de Forró! Nas outras tendas teve outras atividades. De vez em quando eu dava uma volta pelo festival pra poder ver tudo.

14440898_1063443890429748_6106915740120443059_n

Esse grupo foi bem mais organizado com os voluntários, pois no local onde a gente se reunia e onde ficaram todos os equipamentos e material, tinha água, café e chá, frutas, salgadinhos e bolachas e a gente podia fazer um break sempre que precisasse.

14441215_1063443160429821_7966646359478412700_n

14355000_1063444133763057_5611509706388342990_n14355554_1063444250429712_1455976015424066105_n

Quer ser voluntário também? Olha a lista de eventos que precisa de gente:

Outubro

Hard Working Class Heroes (Independent Music Festival): http://hwch.net/

Dublin Theatre Festival: https://www.dublintheatrefestival.com/

The Bram Stoker Festival (Halloween Festival): http://www.bramstokerfestival.com/news/volunteer-with-bram-stoker-festival-2/

Fingal Festival of Fire http://www.eventvolunteers.ie/index.php/opportunities/forthcoming-events

Lingo Festival (Poetry, spoken word Festival) http://www.lingofestival.com/

Open House (Architecture): http://openhousedublin.com/

Novembro

Improv Fest Dublin: http://improvfestireland.com/

Dublin Book Festival: http://www.dublinbookfestival.com/

Dezembro

New Year Festival Dublin: http://nyfdublin.com/

E para 2017:

Janeiro 

First Fortnight Festival http://www.firstfortnight.ie/volunteer/

Fevereiro

Dublin Chinese New Year Festival: http://www.firstfortnight.ie/volunteer/

Dublin International Film Festival: http://www.diff.ie/about/volunteers/

Smock Allies, Scene and Heard (Festival of New Works): http://smockalley.com/smock-allies-scene-heard/

Março

St Patricks Day Festival: http://www.stpatricksfestival.ie/info/volunteers

Abril

Musictown: http://www.musictown.ie/

Offset (design festival): http://www.iloveoffset.com/news/volunteer-at-offset/

Maio

International Literature Festival Dublin: http://www.ilfdublin.com/come-volunteer-with-us/

Dublin Dance Festival: http://www.dublindancefestival.ie/news/volunteer-with-dublin-dance-festival

Junho 

Blooms Day Festival: http://bloomsdayfestival.ie/

Tall Ships: http://dublinriverfest.com/tall-ships/

Inspirefest: http://inspirefest.com/

Julho

City Spectacular: http://www.cityspectacular.com/volunteer

Gaze (LGBT Film Festival): http://www.gaze.ie/contact/volunteer

12 Points Festival (Jazz Festival): http://www.12points.ie/

Festival of Curiosity (Science Festival): https://festivalofcuriosity.ie/

Setembro

Dublin Fringe Festival (Multipurpose Arts Festival): http://fringefest.com

Culture Night: http://www.culturenight.ie/volunteers/

Fingal Film Festival: http://www.fingalfilmfest.com/festival/volunteers/

Meu intercâmbio e a volta ao Brasil: Alana Matos Santana Jorge

Estou amando os textos sobre o intercambio dos meus amigos! O texto de hoje é da Alana, que além de todas as experiencias positivas adquiridas nesse tempo fora, ela ainda conheceu seu marido durante o intercambio! A Irlanda é mesmo mágica, muda a vida das pessoas!

Christ Church ao fundo - Dublin

Christ Church ao fundo – Dublin

Alana, 25

Período do intercâmbio e cidade: Dublin, 2 anos e 7 meses.

Antes mesmo de decidir fazer um intercâmbio, estava estudando inglês em uma escola particular. Cheguei em Dublin com o inglês intermediário. Aquele “medo” de falar com as pessoas no começo eu não tive. Sempre achei que para aprender, era necessário cometer “erros” rsrs. Lembro como se fosse ontem, quando cheguei ao supermercado Lidl no meu primeiro dia na Ilha, querendo comprar achocolatado. Olhei para o rapaz que trabalhava na loja e perguntei: Sr. Please, where can I find chocolate in powder? Ele ficou me olhando….então falei pausadamente: Chocolate? Powder? Eis que surge uma luz na mente dele e ele diz: Ahhhhh!! Hot chocolate? Ele correu para a prateleira e me mostrou o bendito achocolatado em pó! Rsrsrs nunca mais esqueci! São coisas que o intercâmbio nos proporciona!

Fui para Dublin através de agência, então minha primeira moradia, como da maioria, foi em acomodação. A minha era somente para meninas. Fiz amizade com as duas outras meninas que moravam na casa, e elas se tornaram minhas grandes amigas! Porém minha estadia era somente de uma semana, começa então o drama de procurar um lugar para morar. Sentei na frente do notebook e comecei minha busca interminável por um lugar para morar. Por sorte, – ou destino, quem sabe? – encontrei uma vaga na mesma rua da acomodação e me mudei na mesma semana. Lá conheci muitas pessoas que fizeram parte do meu intercâmbio até o último dia na Ilha!

Minha escola era a MEC, me adaptei super bem e fiquei no nível intermediate. Estudei por 4 meses e logo surgiram as oportunidades de trabalho. Meu primeiro emprego foi como au pair, em seguida, consegui trabalhar no restaurante da minha patroa do au pair como Waitress. Logo fui promovida e meu último cargo antes de vir embora foi de Assistent Manager.

Quando renovei para o meu segundo ano, a escola MEC fechou, foi um susto enorme. Por “sorte”, o Governo da Irlanda nos permitiu continuar com o visto e não ter que comprar um novo curso para permanecer na Ilha. Foi então que fiz minha última renovação (terceiro ano) na ELA – English Language Academy, que é uma escola maravilhosa! Te dá todo o suporte necessário. Estudei lá até vir embora.

Durante o meu intercâmbio, tive a maior felicidade da minha vida, conheci meu marido! Isso mesmo, fui para estudar inglês e acabei voltando ao Brasil com um noivo rs.

Chegamos ao Brasil tem 4 meses, nos casamos em Junho e foi incrível! É um pouco complicado se adaptar ao Brasil depois de algum tempo fora. Atitudes que fazem parte do nosso cotidiano em Dublin, nos acompanharam para cá! Sempre que esbarramos em alguém, ou fazemos algo indevido, dizemos “sorry”. Dizer isso aqui é engraçado para quem não entende inglês rs. Procurar pelo interruptor da tomada do lado de fora do banheiro, jogar papel higiênico dentro do vaso sanitário, andar nas ruas com o celular nas mãos, dentre outras coisas, ficaram fora da nossa rotina!

O Brasil está numa época de crise, quem vier embora despreparado financeiramente, irá sofrer graves consequências. Acredito que vamos conseguir sair dessa crise e melhorar a situação do nosso País. Afinal, o Brasil tem tudo para ser o melhor lugar do mundo, pois não há lugar como o nosso lar!

A melhor coisa do meu intercâmbio sem dúvida foi o crescimento pessoal, cheguei na Irlanda com uma mentalidade e saí de lá completamente diferente, de mente aberta. Aprendi mais ainda a dar valor às coisas simples da vida, como um café com leite e pão com manteiga no café! Ao aconchego de casa, ao calor da família, estar aqui de novo é muito bom!

A pior coisa que me aconteceu no intercâmbio foi um teste para emprego que fui fazer num Café onde o dono era Indiano. Já tinha escutado falar que os indianos eram “terríveis” de lidar, mas como a necessidade do emprego era maior do que tudo, resolvi tentar. Cheguei no primeiro dia, disse que só sabia fazer alguns cafés e o nome de alguns produtos. Pois bem, era na minha primeira semana em Dublin, e eu já estava fazendo um teste. Eu não fazia ideia dos nomes dos salgados, etc. Eu esperei que eles fossem me ensinar a fazer, mas não. Um cliente chegou e me pediu um Irish breakfast (café da manhã irlandês), pra quem não sabe, vai: fatias de pão, bacon, salsichas fritas ou grelhadas, ovos, morcela preta e branca, feijão com molho de tomate, batata e cogumelos. Para beber, chá ou café. Muitos ingredientes não é mesmo? Agora como é que eu ia saber preparar tudo isso, sendo que nunca nem vi na vida? E eles ainda se sentiram na obrigação de eu tentar fazer sem eles me mostrarem. Resumindo, fiquei lá por 3 dias e fui dispensada. Mas valeu o aprendizado. Depois eu ainda descobri que o dono sempre chamava as meninas para fazer o teste e dispensava no terceiro dia para não pagar pelos dias trabalhados e não precisar contratar funcionário. Esperto não é?

Tirando isso, acredito que todos deveriam ter a oportunidade de fazer um intercâmbio na vida. Você muda completamente sua forma de ver o mundo, as pessoas, e tudo mais. Você abre a cabeça, trabalha em empregos que nunca imaginou na vida, é uma experiência incrível e necessária! Se arrisque, a vida é curta demais para ficar acomodado no seu emprego onde você sabe que não terá oportunidades.

alana-casamento

Meu intercâmbio e a volta ao Brasil: Aline Meira

Esse é o segundo post sobre pessoas que fizeram intercambio na Irlanda e voltaram ao Brasil. Acho muito legal saber o que o intercambio significou na vida delas e quais as expectativas para o futuro na nossa terra (ou no próximo destino)!

Eu conheci a Aline na minha primeira semana de aula aqui, pois estudamos juntas por alguns dias. E parece que foi ontem que a encontrei na Penneys e ela me disse que estava voltando pro Brasil! Se voces tambem gostam de ler sobre a experiencia de outras pessoas, assim como eu, fiquem com o texto da Aline🙂

Powerscourt garden

Powerscourt gardens

Continuar lendo

Meu intercâmbio e a volta ao Brasil: Pedro Mariano

Esses dias eu estava pensando num dos maiores conflitos que temos ao morar longe: quando voltar? Ou não voltar? Eu e todos os meus amigos intercambistas passamos por isso. Ja faz 2 anos e meio que estou aqui e meu visto vence em dezembro. Alguns dos meus amigos ja voltaram pro Brasil, outros estão no mesmo dilema que eu.

Entao eu pensei em quem ja passou por isso e ja tomou a decisão de voltar. Fiquei curiosa pra saber como esta sendo essa nova fase na vida delas. E por isso perguntei a alguns amigos que ja voltaram: como eles veem a experiencia do intercâmbio e como foi voltar ao Brasil?

O Pedro é um dos grandes amigos que fiz aqui, nos conhecemos logo na primeira semana pois ficamos no mesmo hostel e estudamos na mesma escola, mas em salas diferentes. Uns meses depois viramos flatmates. Foi uma pena ele ter ido embora, mas acredito que ele tenha tomado a decisao certa para aquele momento da vida dele.

Estao curiosos? Entao fiquem com o relato dele:

pedro-irlanda

Continuar lendo

E a dieta no Intercâmbio…

Acho engraçado que o fato de sair do seu país e ir morar em um lugar diferente, com comida e cultura diferente, pode ter um impacto totalmente diferente em cada pessoa! Muita gente diz ”intercambio engorda” (eu sou desse time), já outras emagreceram ao chegar aqui. Só sei que é muito difícil tentar manter uma boa alimentaçao quando a sua rotina muda tanto.

Pra começar, voce acabou de chegar e passa os primeiros dias passeando pela cidade (anda muito), procurando casa pra dividir (anda mais ainda), primeiros dias na escola, abrindo conta no banco, acertando toda a documentaçao do visto. Nesse primeiro momento a tendencia é emagrecer, porem nos alimentamos mal, ja que nao temos uma casa fixa ainda e um cantinho pra cozinhar. E como a maioria precisa economizar, acabamos comprando lanches baratos e nada saudáveis.

chicken roll

Continuar lendo

Os 10 pontos turísticos mais visitados da Irlanda

A Irlanda tem centenas de atrações que valem apena visitar, como parques, museus, cliffs, praias, e muitas delas são grátis. O site Fáilte Ireland publicou a lista com as atrações mais visitadas em 2015, aqui no post vou colocar o TOP 10, sendo 5 pagas e 5 gratuitas. Em negrito vou destacar as que eu já visitei (e vocês vão perceber que eu sou pobre e só vou nas coisas grátis! haha)

cliffs-of-moher

Cliffs of Moher (fonte)

No ano passado, a Guinness Storehouse (fábrica da Guinness) recebeu quase 1,5 milhões de visitantes e ficou com o primeiro lugar entre os pontos turísticos pagos.

1. Guinness Storehouse – 1,498,124
2. Cliffs of Moher Visitor Experience – 1,251,574
3. Dublin Zoo – 1,105,005
4. National Aquatic Centre – 991,554
5. Book of Kells – 767,996

Entre as gratuitas, a National Gallery foi a mais visitada.

1. The National Gallery of Ireland – 718,637
2. National Botanic Gardens – 553,348
3. Irish Museum of Modern Art – 485,702
4. National Museum of Ireland (Archaeology, Kildare St)  – 457,057
5. Farmleigh – 410,076

Para ver a lista completa clique aqui.

cliffs-of-moher-irleland

Cliffs of Moher e eu em 2014!

jardimbotanicodublin

Botanic Gardens – Dublin

Canadá – um dos destinos mais procurados por brasileiros

Quem já nao sonhou em fazer intercambio nos EUA ou no Canadá, por exemplo? Eu moro e estudo na Irlanda há mais de 2 anos entao tem muitas informacoes sobre isso aqui, mas e outros países? Pensando em diversificar um pouco o conteúdo aqui no blog, estou em parceria com a EF, uma agencia super reconhecida que atua desde 1965 em todo o mundo, e vamos postar sobre algumas outras possibilidades de estudar e morar fora. Nesse primeiro artigo o assunto é: Canadá! O que podemos estudar lá? O que faz o país ser tao atraente para nós brasileiros? Se voce está pensando em estudar fora, e ainda está na fase de pesquisas, espero que o artigo seja útil🙂

Vancouver_square

Canadá – um dos destinos mais procurados por brasileiros

Não é novidade que o Canadá é um dos destinos mais procurados por brasileiros no que diz respeito ao investimento pessoal em educação.

Muitos intercambistas de primeira viagem escolhem o Canadá para viver uma experiência internacional. De maneira simples, é fácil entender – o Canadá, além de ser um país com belas paisagens, oferece uma qualidade de vida incomparável a do Brasil. Os estudantes escolhem, geralmente, um lugar que oferece uma vida mais confortável em todos os aspectos do cotidiano: transporte, saúde, qualidade do ar, segurança pública e custo de vida.

No Canadá, é possível estudar:

  • Cursos de Francês;
  • Cursos de Inglês (intensivos ou gerais);
  • Cursos de Graduação em Universidades ou College:

College são cursos mais práticos e Universidades oferecem cursos mais acadêmicos. Para cursar uma graduação no Canadá, é preciso já ter uma graduação no currículo de no mínimo 1 ano (em instituições já reconhecidas pela Universidade no Canadá – mas isso depende de cada instituição. Faça uma pesquisa rigorosa antes de aplicar para algum curso.

Continuar lendo