Nice – Riviera Francesa

Os últimos posts aqui foram sobre viagens ou passeios, então parece que eu só viajo por aqui! haha Pelo contrário, trabalhei tanto nesses últimos dois meses que fiquei sem tempo de postar qualquer coisa.

Mas acontece que de repente eu decidi ir pra Nice, comprei a passagem e 3 dias depois estava lá! Não tive tempo de planejar quase nada e não falo nada de francês. Cheguei no dia 6 de agosto e voltei no dia 10. Fiquei num hotel em Promenade des Anglais, na frente da praia! Quem me conhece sabe que esse tipo de viagem não é o que eu geralmente faço (hotel chique? Riviera Francesa, lugar de gente rica? viajando de Lufthansa e Swiss em vez de Ryanair? haha) e realmente tudo lá é muito caro, mas por uma surpresa do destino eu estava lá com um amigo e como esse blog está precisando de posts, vou contar o que eu achei.

Nice

Continuar lendo

Remédios pra levar na viagem: Europa

Tem coisa mais chata do que ficar doente em uma viagem? Mesmo que seja só um resfriado, uma alergia ou uma dor de cabeça.  Eles podem te atrapalhar bastante.

Como eu vou ficar mais ou menos um ano fora, comprei um pequeno estoque dos remédios que mais uso pra levar. Os básicos:

image

• Dorflex – 5 cartelas com 10 comprimidos cada
• Resfenol – 2 caixas com 20 comprimidos cada
• Anticoncepcional – 4 caixas com 3 cartelas cada
• Sal de frutas Eno – 1 pote de 100g
• Naturax – 2 caixas de 20 comprimidos cada
• Intestin – 1 caixa com 12 comprimidos
• Celestamine – 1 caixa com 20 comprimidos

O Celestamine é pra alergia/rinite, sem ele eu passo muito mal dentro do avião! E os dois para o intestino é sempre bom ter quando a gente vai pra um ligar onde a comida é diferente do que estamos acostumados. Além disso acho que vou levar também band-aids (em viagem sempre ando muito e acabo com bolhas).

Esse foi o kit básico que comprei hoje. Só essa brincadeira ficou em R$ 216,00.  Mas ainda vou pesquisar mais alguns que pode ser bom levar! Se vocês tiverem alguma dica, deixa aí nos comentários e me ajuda!! Rs

3 motivos para viajar enquanto jovem

Você já parou pra pensar se está fazendo o que realmente quer? Se está desperdiçando seu tempo apenas com trabalho e coisas materiais enquanto queria estar por aí conhecendo o mundo?

mundo

Achei um texto hoje que fala exatamente sobre o melhor momento para viajar. E já faz um tempo que eu venho pensando nisso, por isso gostei tanto do texto e acho que ele apareceu na hora certa. Claro que nunca é tarde para viajar, pra aprender, pra conhecer lugares diferentes. Acho mesmo que eu vou estar fazendo isso com 60 anos. Mas acho que o momento mais decisivo mesmo é na juventude. Porque é nessa época que o mundo nos faz tanta falta. Essa época de curiosidade, de querer aprender tudo de uma vez, de querer saber falar várias línguas, de querer passar por lugares diferente e, quem sabe, na volta, dar mais valor ao nosso lugar. Ou descobrir que o nosso lugar é outro.

Enfim, só sei que o mundo é grande demais pra gente ficar 5, 10 anos trabalhando no mesmo lugar, reclamando das mesmas coisas. E, de acordo com o texto, os 3 principais motivos pelos quais devemos viajar enquanto somos jovens são:

1) Viajar ensina você que a vida é uma aventura

Quando você olha para trás em sua vida, você vai ter momentos em que terá orgulho e talvez alguns com arrependimento. Muito provável que a lista a seguir não será como a lista anterior de dúvidas:

· Anda de bicicleta na ponte Golden Gate

· Aparecer em uma televisão italiana.

· Fazer Hike em ruínas Maias.

· Aprender Espanhol em 3 meses

· Viajar pela Europa por trem

Por isso, o que vai ser?

Quais serão as escolhas que você irá se arrepender? Segurar-se. Ficar com medo. Criar desculpas. Não tomar riscos. Esperar.

Você deveria tomar um tempo para ver o mundo e provar a vastidão do mundo. Vale a pena qualquer que seja o investimento ou dinheiro ou sacrifício que pode exigir da sua parte.

Isto não é ser turista. Isto é sobre experimentar riscos verdadeiros e aventurar-se e assim não você não terá que viver com medo pelo resto da sua vida.

2) Viajar ajuda você a encontrar compaixão

Em sua juventude, você irá tomar decisões que te definirão. A disciplina que você criar agora ficará contigo pelo resto da sua vida.

Viajar irá mudar você como poucas coisas conseguiriam fazer. Isto colocará você em lugares que irá forçar você para situações maiores que você.

Se você ir para sudeste da Asia, você poderá encontrar tráfego de escravos e pessoas. Já na Europa oriental, você poderá ver os efeitos do genocídio e perseguição religiosa. Se for Haiti, você testemunhará a feiura que é o lado paternalista ocidental.

E o seu coração irá estilhaçar.

Você começará a entender que o mundo é um lugar grande e pequeno. Você irá encontrar um novo respeito pela dor e sofrimento que mais de metade da população passa para suprir suas necessidades básicas.

E você irá se sentir mais conectado pela natureza de ser humano em um plano profundo e duradouro.

Você irá aprender a cuidar.

3) Viajar permite a você absorver culturas

Para conhecer o mundo e as magníficas pessoas que enchem o mundo. Não há nada como andar junto o Coliseu ou ver Michelangelo em pessoa.

Eu posso descrever a cidade de San Juan e suas maravilhosas praias e a história dos sítios para você, mas você realmente deve ver isto por si próprio para experimentar isso. Você pode ler todos os livros do mundo sobre a grande muralha da China ou o Louvre, mas indo para lá é uma história diferente.

O mundo é um lugar incrível, cheio de trabalhos em artes fora do comum. Veja isso.

Faça enquanto você é jovem. Não fique esbanjando tempo. Você nunca terá isso novamente.- Jeff Goins

Essa foi somente uma parte do texto Jeff Goins, para ler na íntegra (em inglês) clique aqui. Tem uma tradução em pdf disponível para download aqui.

Já comentei aqui no blog que ano que vem vou morar 6 meses na Irlanda, pra estudar inglês e pra realizar um sonho. Eu poderia deixar isso pra depois, poderia esperar até juntar mais dinheiro, até isso ou aquilo… mas, pra quê? Prestar concursos, comprar carro, casa, casar, isso eu posso fazer depois. Mas essa experiência, de morar fora e viajar, eu preciso ter agora.

Algumas pessoas acham que pra viajar (pra longe, ou por muito tempo) é preciso ter muito dinheiro, é difícil, é perigoso, precisa de companhia… Gente, já inventaram a internet! Digite qualquer cidade no google e você vai ver muita informação sobre ela. É só pesquisar e se planejar. Eu dou a maior força quando alguém diz que tem vontade de viajar, mas acha complicado, não tem coragem… O que eu não tenho coragem e de passar minha vida sem conhecer pelo menos um pouco desse mundo enorme!

Peru – roteiro antes e depois

Antes de postar o Diário de Viagem, vou falar sobre o roteiro que fiz para o Peru, que na verdade foram 2: o planejado e o executado! Sim, porque algumas coisas sempre mudam em cima da hora.

Eu adoro fazer roteiros antes de uma viagem e deixar tudo organizadinho, com datas, endereços, telefones, hotéis reservados.  Mas sei que nem sempre os planos se concretizam conforme a gente tinha pensado, às vezes é preciso mudar/adaptar o roteiro, por causa de um imprevisto ou só por vontade mesmo.

Nessa viagem ao Peru eu tinha 13 dias entre ida e volta. Organizei os dias conforme eu achei que seria melhor, mas chegando lá, algumas coisas mudaram.

Era assim…

Dia 0 – Porto Velho / Rio Branco
Dia 1 – Rio Branco / Puerto Maldonado
Dia 2 – Cusco
Dia 3 – Cusco
Dia 4 – Cusco (Vale Sagrado)
Dia 5 – Machu Picchu
Dia 6 – Cusco
Dia 7 – Arequipa
Dia 8 – Arequipa (passeio do Colca)
Dia 9 – Arequipa (passeio do Colca)
Dia 10 – Puno (saída p/ Cusco noite)
Dia 11 – Cusco (saída p/ Puerto Maldonado noite)
Dia 12 – Puerto Maldonado / Rio Branco
Dia 13 – Porto Velho

E ficou assim:

Dia 0 – Porto Velho / Rio Branco
Dia 1 – Rio Branco / Puerto Maldonado
Dia 2 – Cusco
Dia 3 – Cusco
Dia 4 – Cusco (Vale Sagrado)
Dia 5 – Machu Picchu
Dia 6 – Ollantaytambo
Dia 7 – Arequipa
Dia 8 – Arequipa (passeio do Colca)
Dia 9 – Arequipa (passeio do Colca)
Dia 10 – Puno
Dia 11 – Puno – Cusco
Dia 12 – Puerto Maldonado / Rio Branco
Dia 13 – Porto Velho

No final a quantidade de dias ficou a mesma. As mudanças foram: No dia 5 voltamos de Machu Picchu e gostamos tanto de Ollantaytambo, que resolvemos dormir lá, em vez de seguir direto para Cusco na mesma noite. Aí na manhã seguinte, tomamos café e às 10h saímos para visitar Maras e Moray, chegando de tarde em Cusco. Ollanta é tão fofa que eu queria ter ficado mais!

E em Puno, chegamos bem cedo e fomos para os passeios Uros e Taquille, no fim da noite era pra voltar a Cusco, mas resolvemos dormir lá, e fomos só na manhã seguinte. Estava um friiiio e a gente achou que merecia um banho quente e uma noite de sono numa cama quentinha.

Achei que essas adaptações foram ótimas, pra descansar e conhecer melhor os lugares. Da próxima vez não vou fazer um roteiro tão corrido. Vou optar por ficar mais dias em menos cidades. Ah, e reservar quartos com menos camas e mais privacidade nos hostels!

Falando em hostel, eu fiquei no Pariwana em Cusco, no Casa del Abuelo em Ollantaytambo, no Supertramp em Aguas Calientes, no Sumac Wasi em Chivay, no Arequipay em Arequipa e no Qorikancha em Puno, e logo vou comentar sobre eles. Os próximos posts serão sobre o Peru – cidades, passeios, preços, dicas etc!

Rumo ao Peru!