Intercâmbio na Irlanda: o que trazer na mala?

Já que o post Mochilão no Peru: o que levar na bagagem é sempre um dos mais lidos aqui no blog e eu tive muitas dúvidas sobre o que trazer e o que não trazer pra Irlanda, resolvi dar algumas dicas baseadas na minha experiência.

Sempre tem aquilo que a gente compra pra trazer, que traz e não usa, que se arrepende de não ter trazido, que esquece. Então pra tentar acalmar um pouco essas dúvidas, montei uma listinha.

dicas para fazer as malas para a europa

Continuar lendo

Certificado Internacional de Vacinação – é melhor ter!

Frente do Certificado Internacional de Vacinação

O Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia (CIVP) é exigido em alguns países [veja a lista aqui]. Por isso, não basta tomar a vacina, pois a sua carteirinha de vacinação aqui no Brasil não vai valer fora daqui. Veja as providências a serem tomadas antes de viajar:

1 – Tomar a vacina contra a febre amarela

Tome a vacina normalmente em um posto de saúde, e com a carteirinha, siga para o próximo passo.

Observação: a vacina não dói. Palavra de uma medrosa com agulhas!

2 – Emitir o certificado Internacional

Leve sua carteirinha e um documento até um centro de atendimento da ANVISA, tem em aeroportos e em vários outros endereços, consulte sua cidade [aqui]. Lá, eles emitirão o certificado, que vale por 10 anos, assim como a vacina, e ele fica pronto na hora. Uma dica que eu li no site Viaje na Viagem é a de não colocar o número do seu passaporte no certificado, porque quando o passaporte vencer, você vai fazer outro, então terá que trocar o certificado também mesmo que ele ainda esteja na validade.

Em alguns casos o posto de saúde onde você tomar a vacina já emite o certificado, evitando ter que ir em dois lugares. Informe-se antes para poupar tempo!

3 – Guardar junto com o passaporte

Deixe sempre o certificado guardado junto com o passaporte, para não perder. Mas, como a Lei de Murphy pode te perseguir, em caso de perda é possível solicitar a segunda via no centro de atendimento da ANVISA.

Porque é importante tomar?

Além do motivo principal – para te proteger – é bom tomar a vacina mesmo se você não vai viajar agora para um país que exige. Eu fui para o Peru há 2 meses, e lá não é exigido, mas mesmo assim tomei e agora guardo o certificado junto com o passaporte, porque quando for viajar de novo, não precisarei ficar me preocupando se tal país exige ou não o certificado.

Antecedência

Não esqueça que a vacina deve ser tomada (e o certificado emitido) no mínimo 10 dias antes do início da viagem, então programe-se, não deixe para a última hora! É tudo indolor e grátis, então vale a pena tomar e guardar o certificado, mesmo que você não vá viajar esse ano.

Impedimento

Algumas pessoas não podem tomar a vacina, como mulheres grávidas, bebês com menos de 6 meses, pessoas com alergia a algumas substâncias… Nesse caso elas precisam do certificado de isenção, leia sobre isso [aqui].

Mochilão no Peru: o que levar na bagagem

Arrumar a mala (ou a mochila) é sempre um desafio, pelo menos para quem não consegue levar pouca coisa ou está indo para um lugar pela primeira vez. Vai fazer frio? Será que chove? O que usar? São muitas dúvidas! Então, para as meninas que pretendem ir passear por esse país incrível que é o Peru, vou contar o que levei, o que usei ou não, e o que deveria ter levado!

Qual é a sua mochila?

Antes de tudo, o que vamos levar depende de onde vamos levar, isto é, da sua mala ou mochila. Para essa viagem eu comprei uma mochila de 50L da marca Quechua, modelo Symbium Easyfit. Achei ela linda e foi ideal, porém seria pequena para um mochilão de 40 dias, por exemplo. E também tem a ver com a sua altura: eu sou alta, então poderia usar uma mochila maior se quisesse, já para as baixinhas, não é bom usar uma mochila muito grande! Ela deve se encaixar bem nas suas costas.

Não preciso falar o óbvio, né?…… Tá, eu falo: não leve muito peso e não leve muita roupa. Não precisa! Pratique o desapego e leve apenas roupas básicas, fáceis de combinar, um casaco quente, um tênis confortável, e pronto!

It’s all about the weather

O clima do local influencia totalmente na sua bagagem. No Peru faz frio. Em agosto, quando eu fui, quase não chove. Mas se você for em dezembro ou janeiro, por exemplo, pode preparar a capa de chuva (pra você e pra mochila), um calçado e algumas roupas impermeáveis.

Estilo da viagem

Se você vai fazer trilhas, ou algum passeio do tipo (mais aventura), provavelmente vai levar roupas mais técnicas, barraca, saco de dormir, essas coisas (mas lembre-se que sempre dá pra alugar esses equipamentos lá e evitar carregar esse peso). No meu caso fiz vários passeios mas nada muito puxado, então levei roupas normais e uma bota de trekking/tênis de aventura. Essa bota é da marca Macboot, uma das mais baratas desse estilo, e é confortável demais! Andei o dia inteiro por 13 dias com ela e não senti nenhuma dor, nenhuma bolha e nenhum cansaço nos pés.

Se você gosta de baladas e de sair à noite e faz questão de sair toda arrumada, leve uma botinha e uma bolsa. Eu não sou de festa e só saía de noite pra comer, então não levei nenhuma “roupa de sair”. Além disso, no Peru as cidades são lotadas de turistas, ninguém se preocupa em sair arrumadinho, vão pra noite de tênis e casaco esportivo mesmo. De salto, acho que não vi ninguém.

Mochila para 13 dias no Peru – estação seca

Agora sim, o que levar?! Fiz uma listinha adaptando o que eu levei e o que deveria ter levado, somei também os remédios e outras coisinhas.

  • Roupas:

1 calça jeans, 2 leggings, 1 calça esportiva (OU mais uma jeans), 1 casaco de frio, 1 cachecol, 2 blusas de frio (não muito grossas), 1 blusa de fleece, 4 blusas básicas, 1 blusa fininha de manga comprida, 1 camiseta e 1 calça de dormir, 1 top, 2 sutiãs, 2 pares de meias, 2 meia-calças, 6 calcinhas.

Lembrando que dessa listinha aí eu já fui usando: a calça jeans, um sutiã, uma blusa, um par de meias e uma blusa de frio amarrada na cintura.

  • Sapatos:

1 bota de trekking ou tênis bem confortáveis (que já vai usando) e 1 par de havaianas.

  • Necessaire pequena com remédios:

2 estomazil, 1 cartela de dorflex, 1 de naturax, 4 band-aids, 3 imosec.

  • Necessaire de higiene e maquiagem:

1 protetor solar para o rosto e 1 para o corpo, hidratante para o rosto, shampoo, condicionador, leave-in, sabonete líquido (todos esses em potinhos pequenos travel size), 1 hidratante labial, 1 BB Cream, 1 lápis preto, cotonetes, algodão, protetores diários (care free), 1 pente pequeno, 1 perfume pequeno.

  • Outros:

Carregador de celular e câmera, documentos (passaporte, reservas de hostel e passeios), 1 cadeado, 1 toalha.

Na mochila de ataque

Mochila de ataque é uma mochila pequena, dessas normais, que usamos durante o dia, pois como saímos cedo e ficamos passeando o dia inteiro, já podemos levar tudo nela: uma garrafa de água (super necessária), bolsinha com dinheiro e passaporte, mapa, uma blusa de frio, um lanchinho.

Nela eu levei o passaporte, dinheiro, cartões, reservas, um caderninho e caneta para fazer o diário de viagem, celular, câmera, carregadores, bolacha. E aí, todos os dias antes de sair do hostel, eu a arrumava com as coisas que ia precisar no dia.

Se ainda sobrar espaço…

…Leve: um secador de cabelo pequeno (pra não dormir de cabelo molhado no frio), uma chapinha pequena (se você não viver sem), um par extra de tênis (para caso você pegue uma chuva e o seu fique todo molhado), uma sacola/bolsa daquelas que dobram e ficam bem pequenas quando estão vazias (pra trazer os presentes e lembrancinhas na volta – eu tive que comprar uma lá).

O que eu não levei e comprei lá

Algumas coisas eu não levei porque seria mais barato comprar lá mesmo. Comprei: 2 toucas, 1 par de luvas, uma bolsinha pequena para carregar só celular, câmera e dinheiro, um casaco de fleece e impermeável, um meião de lã, um chapéu pra me proteger do Sol em Pisac, uma bolsinha de moedas, 2 camisetas. De presentes pra família apenas 1 touca e um cachecol e 2 canetas decoradas com lhamas. E uma bolsa de tecido transversal tipicamente peruana pra carregar isso que comprei.

Touca, cachecol, luvas, é tudo bem barato lá, então se você ainda não tem, não precisa comprar aqui. Roupa de frio e roupas de aventura (impermeável, fleece etc) também compensa comprar lá. E também só dá pra achar lá o remédio específico para o mal de altitude, é só entrar em qualquer farmácia e pedir soroche pills.

Não precisa levar adaptador de tomadas. São iguais às nossas aqui.

Mande lavar

Cidades turísticas são perfeitas para mochilões, porque você pode levar pouca roupa e ir lavando no caminho. No Peru são 3 a 5 soles por quilo de roupa para lavar, os próprios hostels e hostéis têm lavanderia, então é super prático. Não precisa levar muita roupa, é só ir usando e lavando.

Os mochileiros

No Peru eu quase não vi brasileiro. Vi famílias inteiras mochilando, vi idosos, muitos europeus, americanos, japoneses. E o perfil de todos era: bota de trekking ou tênis, calça esportiva, casaco de fleece e um impermeável por cima, pochete ou mochila. Cabelo amarrado pra cima de qualquer jeito e nenhuma maquiagem.

Então, relaxe! Não fique pensando se sua maquiagem vai caber, se seu cabelo está impecável… ninguém liga! Estão todo lá pra explorar as ruínas, apreciar as paisagens, tirar fotos, andar, cansar, andar mais um pouco.

Dia fresco e com Sol em Machu Picchu

Dia fresco e com Sol em Machu Picchu

Essa foto ilustra bem as roupas que eu usei lá: uma camisetinha por baixo, uma de lãzinha por cima e um casaco. Daí conforme ia esquentando ou esfriando eu ia tirando o casado e a blusa do meio. Nesse dia em Machu Picchu fez sol, e foi uma das poucas vezes que eu fiquei só com a camiseta. Mas de tarde, na hora de ir embora, esfriou novamente.

bota macboot

Companheira!

Minha nova paixão é essa botinha: super confortável, só tirava do pé pra tomar banho e dormir.

Tira casaco, amarra casaco...

Tira casaco, amarra casaco…

Eu de preto: legging, blusa folgadinha e esse meião de lã que comprei lá, gostei do estilo e muita gente estava usando. mas sei bem que não vou usar isso aqui no Brasil! É boa porque esquenta, usei por baixo da calça jeans também. O casado preto (sempre o mesmo) pendurado na mochila. A blusa de frio das meninas são como as que eu levei também, não muito grossas, dava pra aguentar um friozinho, e quando o frio aumentava, era só por o casaco por cima.

Bom, deu pra ver que o jeito mais prático de se vestir no Peru é em camadas: uma blusa + uma blusa de frio + um casaco. Aí você vai tirando conforme a variação de temperatura. A calça pode ser esportiva, legging ou jeans (vi pouca gente de short, só umas gringas que devem morar em algum lugar bem mais frio). Meia-calça por baixo só de noite, quando esfriava mais. Touca e luvas, o mesmo.