As estradas no Peru

As estradas no  Peru

Minhas impressões depois de andar de ônibus e van desde a fronteira até Cusco, Arequipa e Puno.

Antes de começar a viagem, eu já sabia que as estradas no Peru eram boas, bem melhores que no Brasil, porém, elas davam um pouquinho de medo: muitas curvas e precipícios bem ao lado da sua janela. O que é verdade, mas não cheguei a ficar com medo. Outra coisa que falavam é que os motoristas eram meio loucos: dirigiam à toda nas curvas e estradinhas estreitas.

Saindo de Rio Branco, vamos pela Estrada do Pacífico, que dentro do território brasileiro é identificada como BR-317, enquanto no Peru é chamada de Carretera Interoceanica. Na parte acreana, muitos buracos e alguns trechos em reforma, até cruzar a fronteira.

Estrada do Pacífico

Começando pelo primeiro trecho: Iñapari x Puerto Maldonado. Iñapari é a primeira cidade logo após a fronteira com o Brasil (Assis Brasil é a última cidade brasileira), e lá peguei uma van para Puerto Maldonado, que é uma cidade maior, tem aeroporto e rodoviária com milhares de ônibus saindo para Cusco. Bom, o caminho entre uma e outra é ótimo, a estrada lisinha como um tapete, só que a cada 20 minutos passamos por umas pequenas vilas na beira da estrada, com algumas casas, e antes, durante e depois dessas vilas tinha muitas lombadas. Por isso, o motorista andava quase parando. Quando não tinha lombada, ele andava devagar também (acho que é um costume deles), fora que as vans que fazem esse trecho normalmente são velhas e não correm mesmo.

Puerto Maldonado x Cusco. Eu fiz esse trajeto de ônibus e durante a noite/madrugada, portanto não cheguei a ver a estrada, só a sentir. E senti muitas curvas! Novamente estrada sem buracos. Chegando mais perto de Cusco, muitas curvas mesmo, super fechadas, o ônibus não ficava nem 30 segundos em linha reta e já virava… ainda bem que com tudo escuro não dá pra ver se do lado tinha precipício! Nessa parte também tem a questão da altitude, pois vamos subindo, passamos pelo ponto mais alto da estrada que é 4.735m, e chegamos em Cusco que é 3.360m. Mas eu não percebi essa subida, acho que só dá pra reparar durante o dia. O que causa um pouco de desconforto mesmo são as curvas. Em Puerto Maldonado ainda é calor e a vegetação é igual no Brasil, com muitas árvores, folhas, mato. Chegando nem Cusco, muito frio, pouca vegetação e muitas montanhas.

Cusco x Ollantaytambo. Esse caminho percorre o Vale Sagrado, que é uma das coisas mais lindas que já vi! A estrada é tranquila, com curvas e trechos retos, sempre acompanhada pelo Rio Urubamba seguindo a estrada. Passa por entre montanhas, cidadezinhas, vilas, pastos…

Ollantaytambo x Cusco (passando por Maras e Moray). Outro caminho lindo!! Com a estrada ótima, passamos por povoados, com montanhas nevadas à esquerda… fui olhando pela janela o tempo todo, mesmo com sono, não queria dormir e perder de ver tudo.

Estrada no Peru

Cusco x Arequipa e Arequipa x Puno. Outros dois trechos que fiz de noite, mas dessa vez não sentir muitas curvas.

Puno x Cusco. O caminho é legal também, logo na saída subimos um pouco e temos uma bela visão do Lago Titicaca e o porto, depois é uma estrada normal, muito boa, passando por pequenas cidades, plantações, pastos, rio, ponte.

Na volta, no trecho Cusco x Puerto Maldonado, logo na saída já enfrentamos as curvas, dessa vez eu estava acordada ainda e pude reparar bem. Apenas um pedacinho da estrada estava com terra e cascalho, acho que em obras, mas fora isso, é jeito é se tranquilizar e dormir. Me pareceu que os motoristas já conhecem cada metro do caminho e dirigem devagar, apesar de já ter lido o contrário. Ou talvez eu tenha tido sorte em pegar uns calminhos! Algumas partes da estrada (mais trechos internos entre lugares turísticos, como as estradinhas para chegar em Maras e Moray) era bem estreitas, que não dava pra passar dois carros lado a lado. Aí um tinha que esperar, manobrar e deixar o outro passar.

Vale a pena ir de carro?

Eu não fui, mas acho que vale, sim. As estradas são boas, o visual é lindo e você pode parar quantas vezes quiser para apreciar e tirar fotos. Sem contar que você faz esse trecho Puerto Maldonado x Cusco de dia, dizem que o caminho é lindo! E o melhor: não vão entrar peruanas no seu carro às 2h da manhã vendendo pan e arroz con pollo.

Na Aduana em Iñapari é preciso pegar uma autorização para a entrada do veículo, e isso pode ter uma certa burocracia. O proprietário deve estar presente. Achei dois blogs que contam sobre essa viagem de carro, com informações atualizadas: Pé na Estrada e Acre Duas Rodas. Aliás, muita gente vai de moto também!

Anúncios

2 comentários sobre “As estradas no Peru

  1. Pingback: A culinária no Peru | Um Tempo Fora

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s